Ela possui a estranha mania de ter fé na vida

Retrospectiva 2011

Eunice Terezinha Pires, 46 anos, agente comunitária de saúde.

É interessante refletir sobre o que sobra depois de invadir a vida de alguém em busca de alimento para uma reportagem. Quase sempre, fica pouco: só o telefone na planilha do excel. Em outras situações, no entanto, acabo cativando o outro e me torno responsável pela afeição. No começo do ano, conheci a Eunice, uma mulher de simpatia larga e abraço sincero. Nossa ligação foi imediata e ela confiou a mim um pedaço da sua história, sem medo, sem frescura. A mulher telefonou logo depois da publicação da matéria que falava dela e me disse coisas bonitas. Aí eu deixei de ser repórter e ela deixou de ser personagem. Não demorou para a agente de saúde se tornar assinante do jornal. "Todo dia pego a edição e procuro uma foto sua para mostrar para a minha filha, mas nunca encontro. Não tem jeito mesmo, né? Você só fica atrás das câmeras", reclamou, na semana passada.


Comentários

  1. Querida, ela.
    Tomara que tenham umas assim em Porto Alegre. Até agora, ao que parece, são raras.

    ResponderExcluir
  2. Que bonito ela querer ler só os seus textos no jornal. É isso que vale a pena nessa correria diária. A gente sempre encontra gente assim :)
    (Fran sem blog)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas