Instagram

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Inesperado

Cansaço, mormaço. 
Menino de canelas finas, uns dez anos, havaianas quase arrebentando e cicatriz perto do olho esquerdo. Sem nada nos bolsos do calção jeans, parado na calçada para desfrutar as últimas unidades de um pacote de bolacha recheada sabor chocolate da marca mais barata.
- Tia, tem algum dinheiro?
- Não, nada - respondo sem ânimo e continuo.
Ele também atravessa a rua e vem em minha direção.
- Pode me dizer as horas?
- 18h23.
Continua andando por perto, comendo primeiro o recheio e bem devagar.
- Eu gastei meu único real com a bolacha. Você não tem nem dez centavos?
- Já falei que estou lisa. Acha que estou mentindo?
- Claro que não, eu acredito na senhora - responde sem convicção, agora já ao meu lado. Ele insiste, para sensibilizar: É que eu deveria ter comprado café, mas estava muito caro...
- E você quer que eu crie um dinheiro para você?
- Só se você fosse uma mágica, mas eu sei que essas coisas são mentira, tudo ilusão.
- Será?
- Só as coisas de Deus são verdadeiras - silêncio, clima abafado - A senhora já é bonita!
- Obrigada.
- Casada?
- Quase - minto - E você?
- Não, né! Mas eu dobro aqui, obrigado.
E vai embora para sua casa que fica perto do Parteka.

Um comentário: