Instagram

domingo, 24 de julho de 2011

A saudade

As músicas tocavam na ordem aleatória e a tarde estava fria, embora com restos de sol que de quando em quando entravam pela janela e deixavam o quarto um pouco abafado. Exatamente quando li as últimas linhas do livro ("É engraçado. A gente nunca devia contar nada a ninguém. Mal acaba de contar, a gente começa a sentir saudade de todo mundo"), Zeca Baleiro cantou "a saudade é um filme sem cor que o meu coração quer ver colorido".

3 comentários:

  1. A gente até tenta colocar celofane na frente, mas não resolve muita coisa.

    ResponderExcluir
  2. Pessoal se gostam de relaxar e de partilhar jumtem-se a esta comunidade/site que é uma especie de fusão entre facebook e jogo, é um espetáculo!

    http://www.erepublik.com/en/referrer/HugodePayens

    ResponderExcluir
  3. Scheyla, as vezes nos deparamos com momentos que queremos fazê-los mais agradáveis ou mais intensos e não conseguimos. Um abraço. Seja feliz. Jesus te ama.

    ResponderExcluir